Notícia

POLÍCIA MILITAR

Polícia Militar do Estado de Alagoas
Quarta, 18 Dezembro 2019 14:40
Aperfeiçoamento

Capitão da PMAL participa de curso sobre tráfico de animais silvestres em El Salvador

Além do Brasil, Peru, Equador, Chile, Guiana, Suriname e El Salvador mandaram representantes para o Curso

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Whatsapp
  • Google +

Entre os dias 09 a 13 de dezembro, a Polícia Militar de Alagoas enviou o capitão Wenderson Viana, pertencente ao Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), para frequentar o ‘The Wildlife Border Inspection Training Program (WBITP)’, um curso sobre animais silvestres que aconteceu no International Law Enforcement Academy (ILEA) em El Salvador.

A delegação brasileira, composta de oito integrantes, contou com a participação de auditores fiscais, analista da Receita Federal e agente da Polícia Federal. Além do Brasil, Peru, Equador, Chile, Guiana, Suriname e El Salvador mandaram representantes.

 

 

O Curso foi instruído pelo CBP e pelo FWS (agências responsáveis pela segurança de fronteira dos EUA) e forneceu uma visão geral de vários tópicos de inspeção das fronteiras da vida selvagem.

Sobre o curso

O Programa de Treinamento para Inspeção de Fronteiras em Vida Selvagem (WBITP) envolve instruções intensivas referentes ao contrabando de animais silvestres e outros contrabandos (armas, drogas e dinheiro) em vários tipos de portos internacionais de entrada.

O currículo enfoca a Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora Selvagens (CITES); dados sobre comércio de animais selvagens; identificação da vida selvagem; iniciação e gerenciamento de casos; entrevistas; interdição de fronteira; processamento de evidências; ética e corrupções; e preparação para o tribunal.

O curso incentiva a interação entre instrutores e participantes da turma e concentra-se na troca de informações e técnicas pelo FWS no combate ao tráfico de animais silvestres usando técnicas de inspeção nos Estados Unidos. Os participantes também têm a oportunidade de usar equipamentos de campo que suportam inspeções da vida selvagem. Enfatiza a importância de desenvolver e manter contatos globais para trocar informações entre países. Esse diálogo aberto ao longo do curso oferece a oportunidade para as nações anfitriãs obterem ideias sobre problemas específicos de tráfico de vida selvagem enfrentados pelos países participantes.

 

Os instrutores oferecem técnicas e métodos disponíveis para combater problemas específicos de inspeção da fauna silvestre. Esse intercâmbio de inteligência e cooperação nas investigações é crucial no combate ao tráfico internacional de vida selvagem