Notícia

POLÍCIA MILITAR

Polícia Militar do Estado de Alagoas
Terça, 07 Janeiro 2020 10:07
SEGURANÇA

Com redução recorde, taxa de homicídios de 2019 em Alagoas é a menor em 20 anos

Governador Renan Filho destacou que em 1999, essa taxa na capital era de 30,9, chegando ao ápice em 2010, com 109,9. Em 2019, caiu para 29,7

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Whatsapp
  • Google +
Governador Renan Filho destacou que em 1999, essa taxa na capital era de 30,9, chegando ao ápice em 2010, com 109,9. Em 2019, caiu para 29,7 Governador Renan Filho destacou que em 1999, essa taxa na capital era de 30,9, chegando ao ápice em 2010, com 109,9. Em 2019, caiu para 29,7 Márcio Ferreira

Alagoas terminou 2019 com o menor número de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI) já registrado desde o início da série histórica, em 2011. Naquele ano, no auge na violência, o estado teve 2.417 homicídios contra 1.184 verificados em todo o ano de 2019, uma redução recorde de 51%. Quando comparada com 2018, que já obtivera o melhor resultado alcançado até então, a queda também foi expressiva: 22,2%. A contínua redução fez 2019 registrar a menor taxa de homicídios por cem mil habitantes em 20 anos. 

Em 1999, essa taxa na capital era de 30,9, chegando ao ápice em 2010, com 109,9. Em 2019, caiu para 29,7. “A violência em nossa capital voltou a padrões do século passado. Isso é muito simbólico num Estado que foi reconhecido, ao longo dos últimos anos, antes do nosso Governo, como o mais violento do Brasil. Hoje, Alagoas é um dos Estados que mais reduzem violência e dá exemplo ao país”, disse o governador Renan Filho durante apresentação dos números da Segurança Pública, nesta segunda-feira (6), no Palácio República dos Palmares. 

“A nossa ideia é seguir reduzindo violência, estabelecendo, como meta para 2020, baixar, pelo menos, mais 10%. Vamos seguir trabalhando com novos investimentos, a realização de concursos públicos em diversas áreas para, com isso, ampliar a capacidade do Estado de combater a violência, investindo também nas áreas sociais”, disse o governador. 

A queda também foi verificada na capital, onde a redução de CVLIs em 2019 ficou em 33,7%, em comparação com 2018. Foram 347 homicídios na capital no ano que passou contra 523 ocorridos em 2018. Em toda a série histórica, a queda também foi recorde: 64,2%. Isso porque em 2011 – ápice da violência – aconteceram 970 mortes só em Maceió. 


 

Dezembro foi o 18º mês consecutivo de redução de homicídios no Estado, totalizando 99 crimes em Alagoas. Comparando com o mesmo período do ano passado, houve uma redução de 16,1%. Em Maceió, foram registradas 33 mortes violentas no último mês do ano, enquanto que em 2018 o período havia contabilizado 35 crimes. 

Patrimônio 

A Segurança Pública também registrou queda em várias modalidades de roubos. O roubo contra transeunte teve redução de 18% em 2019 em comparação com 2018. De acordo com o Núcleo de Estatística e Análise Criminal (Neac), o ano passado encerrou com um total de 8.538 ocorrências. Já o ano anterior teve um total de 10.415 casos em Alagoas. “Com a integração, o apoio do governador e a determinação que temos em manter o foco, sem dúvida alguma vamos continuar baixando esses números e apresentar, em 2020, outro grande resultado”, projeta o secretário de Estado da Segurança Pública, Lima Júnior. 

O roubo de veículos também registrou uma redução de 36% no ano de 2019. Foram 478 ações desta modalidade, enquanto que em 2018 o número ficou em 747 casos. A redução de roubo de cargas foi ainda mais expressiva: 51,8% menos ocorrências em 2019. De janeiro a dezembro, o Neac contabilizou 41 roubos de cargas. O número é menos da metade do registrado em 2018, que teve 85 ocorrências desta natureza. 

Também tiveram queda os roubos a estabelecimentos comerciais. O ano terminou com um total de 338 ocorrências, enquanto que em 2018 o número foi de 427 casos. Segundo a estatística, a redução foi de 20,8%. Outro tipo de crime que também teve uma grande redução foi o roubo a instituições financeiras. Graças ao trabalho de repressão e operações realizadas ao longo do ano, apenas quatro crimes foram registrados em todo o estado. Já em 2018 a Segurança Pública contabilizou 22, uma queda de 81,8%. 

Em Maceió, o trabalho integrado realizado pelas Polícias Civil e Militar alcançou um resultado histórico no combate aos assaltos a ônibus. O ano terminou com 102 ocorrências. Este é o menor número registrado desde que esta modalidade criminosa começou a ser contabilizada. Quando comparado com o total de assaltos registrados em 2018, que foi de 325, constata-se que o crime caiu 68,6%. 

Detran e Seris 

O diretor-presidente do Detran, Adrualdo Catão, apresentou as ações promovidas pelo órgão durante o ano passado. As ações educativas e operações da Lei Seca saltaram de 540 em 2018 para 716 no ano passado, uma elevação de 33%. Foram realizados 45.470 testes de alcoolemia em 2019 contra 33.325 em 2018, crescimento de 36%. Já a abordagem a veículos em 2019 cresceu 41% em relação ao anterior.  

Um dado que chama a atenção é a queda na fração de testes realizados que resultaram em situações de alcoolemia: 2,6% em 2019. Para se ter uma ideia, essa fração em 2014 era de 9.9%. Na comparação com os dois períodos, a redução foi de 74%. “Mesmo que a gente tenha aumentado o número de ações, caiu o número de testes que resultaram em situações de alcoolemia. O percentual vem diminuindo desde 2016, como resultado do constante aumento das ações. As pessoas vêm, realmente, se conscientizando”, observou Catão. 

O secretário da Ressocialização e Inclusão Social, Marcos Sérgio, também apresentou o balanço das ações da pasta que comanda.  De janeiro a dezembro de 2019, o Sistema Prisional do Estado não registrou uma única fuga. Vinte e um por cento dos reeducandos do Regime Fechado trabalham no Sistema Prisional e outros 20% do Aberto e do Semiaberto exercem atividade laboral em Alagoas. São mais de 40 parcerias firmadas com instituições públicas e privadas. 

“A Seris foi premiada como uma das cinco secretarias de Administração Penitenciária que mais empregam reeducandos em todo o Brasil no ano de 2019. A pasta oportuniza cada vez mais emprego e renda a cerca de um mil egressos do sistema prisional”, destacou Marcos Sérgio. 

Texto e foto: Agência Alagoas 

Alagoas terminou 2019 com o menor número de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI) já registrado desde o início da série histórica, em 2011. Naquele ano, no auge na violência, o estado teve 2.417 homicídios contra 1.184 verificados em todo o ano de 2019, uma redução recorde de 51%. Quando comparada com 2018, que já obtivera o melhor resultado alcançado até então, a queda também foi expressiva: 22,2%. A contínua redução fez 2019 registrar a menor taxa de homicídios por cem mil habitantes em 20 anos. 

Em 1999, essa taxa na capital era de 30,9, chegando ao ápice em 2010, com 109,9. Em 2019, caiu para 29,7. “A violência em nossa capital voltou a padrões do século passado. Isso é muito simbólico num Estado que foi reconhecido, ao longo dos últimos anos, antes do nosso Governo, como o mais violento do Brasil. Hoje, Alagoas é um dos Estados que mais reduzem violência e dá exemplo ao país”, disse o governador Renan Filho durante apresentação dos números da Segurança Pública, nesta segunda-feira (6), no Palácio República dos Palmares. 

“A nossa ideia é seguir reduzindo violência, estabelecendo, como meta para 2020, baixar, pelo menos, mais 10%. Vamos seguir trabalhando com novos investimentos, a realização de concursos públicos em diversas áreas para, com isso, ampliar a capacidade do Estado de combater a violência, investindo também nas áreas sociais”, disse o governador. 

A queda também foi verificada na capital, onde a redução de CVLIs em 2019 ficou em 33,7%, em comparação com 2018. Foram 347 homicídios na capital no ano que passou contra 523 ocorridos em 2018. Em toda a série histórica, a queda também foi recorde: 64,2%. Isso porque em 2011 – ápice da violência – aconteceram 970 mortes só em Maceió. 

Dezembro foi o 18º mês consecutivo de redução de homicídios no Estado, totalizando 99 crimes em Alagoas. Comparando com o mesmo período do ano passado, houve uma redução de 16,1%. Em Maceió, foram registradas 33 mortes violentas no último mês do ano, enquanto que em 2018 o período havia contabilizado 35 crimes. 

Patrimônio 

A Segurança Pública também registrou queda em várias modalidades de roubos. O roubo contra transeunte teve redução de 18% em 2019 em comparação com 2018. De acordo com o Núcleo de Estatística e Análise Criminal (Neac), o ano passado encerrou com um total de 8.538 ocorrências. Já o ano anterior teve um total de 10.415 casos em Alagoas. “Com a integração, o apoio do governador e a determinação que temos em manter o foco, sem dúvida alguma vamos continuar baixando esses números e apresentar, em 2020, outro grande resultado”, projeta o secretário de Estado da Segurança Pública, Lima Júnior. 

O roubo de veículos também registrou uma redução de 36% no ano de 2019. Foram 478 ações desta modalidade, enquanto que em 2018 o número ficou em 747 casos. A redução de roubo de cargas foi ainda mais expressiva: 51,8% menos ocorrências em 2019. De janeiro a dezembro, o Neac contabilizou 41 roubos de cargas. O número é menos da metade do registrado em 2018, que teve 85 ocorrências desta natureza. 

Também tiveram queda os roubos a estabelecimentos comerciais. O ano terminou com um total de 338 ocorrências, enquanto que em 2018 o número foi de 427 casos. Segundo a estatística, a redução foi de 20,8%. Outro tipo de crime que também teve uma grande redução foi o roubo a instituições financeiras. Graças ao trabalho de repressão e operações realizadas ao longo do ano, apenas quatro crimes foram registrados em todo o estado. Já em 2018 a Segurança Pública contabilizou 22, uma queda de 81,8%. 

Em Maceió, o trabalho integrado realizado pelas Polícias Civil e Militar alcançou um resultado histórico no combate aos assaltos a ônibus. O ano terminou com 102 ocorrências. Este é o menor número registrado desde que esta modalidade criminosa começou a ser contabilizada. Quando comparado com o total de assaltos registrados em 2018, que foi de 325, constata-se que o crime caiu 68,6%. 

Detran e Seris 

O diretor-presidente do Detran, Adrualdo Catão, apresentou as ações promovidas pelo órgão durante o ano passado. As ações educativas e operações da Lei Seca saltaram de 540 em 2018 para 716 no ano passado, uma elevação de 33%. Foram realizados 45.470 testes de alcoolemia em 2019 contra 33.325 em 2018, crescimento de 36%. Já a abordagem a veículos em 2019 cresceu 41% em relação ao anterior.  

Um dado que chama a atenção é a queda na fração de testes realizados que resultaram em situações de alcoolemia: 2,6% em 2019. Para se ter uma ideia, essa fração em 2014 era de 9.9%. Na comparação com os dois períodos, a redução foi de 74%. “Mesmo que a gente tenha aumentado o número de ações, caiu o número de testes que resultaram em situações de alcoolemia. O percentual vem diminuindo desde 2016, como resultado do constante aumento das ações. As pessoas vêm, realmente, se conscientizando”, observou Catão. 

O secretário da Ressocialização e Inclusão Social, Marcos Sérgio, também apresentou o balanço das ações da pasta que comanda.  De janeiro a dezembro de 2019, o Sistema Prisional do Estado não registrou uma única fuga. Vinte e um por cento dos reeducandos do Regime Fechado trabalham no Sistema Prisional e outros 20% do Aberto e do Semiaberto exercem atividade laboral em Alagoas. São mais de 40 parcerias firmadas com instituições públicas e privadas. 

“A Seris foi premiada como uma das cinco secretarias de Administração Penitenciária que mais empregam reeducandos em todo o Brasil no ano de 2019. A pasta oportuniza cada vez mais emprego e renda a cerca de um mil egressos do sistema prisional”, destacou Marcos Sérgio. 

Texto e fotos: Agência Alagoas