Notícia

POLÍCIA MILITAR

Polícia Militar do Estado de Alagoas
Segunda, 03 Fevereiro 2020 06:59
ANIVERSÁRIO

Polícia Militar do Estado de Alagoas completa 188 anos de história

Após quase dois séculos de lutas e glórias, a Polícia Militar continua mantendo os princípios e valores em prol de uma melhor prestação de serviços à sociedade alagoana.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Whatsapp
  • Google +

A Polícia Militar do Estado de Alagoas (PMAL) celebra, neste dia 03 de fevereiro, 188 anos de história, lutas e glórias. Como forma de homenagear nossa corporação, que tem sua história entrelaçada com a do próprio Estado, viemos de maneira sucinta retratar um pouco dessa trajetória em prol da paz e a salvaguarda dos bens mais preciosos, entre eles a vida do povo alagoano.

Primeiras tropas militares de Alagoas

Dois anos após a Insurreição Pernambucana de 1817 - marco da emancipação alagoana – o governador Sebastião Francisco Mello e Póvoas, visando à defesa do território e manutenção da ordem, organiza em Maceió, onde havia fixado residência, três pequenas companhias de soldados. Nessa época, infantes (soldados) e artilheiros, num total de 341 militares, formam um corpo de Tropa de Linha (nome dado às forças terrestres), criado em Alagoas através de um Decreto Real de julho de 1818.

Institucionalmente, as polícias militares das províncias, inclusive a de Alagoas, passaram a ter possibilidade de nascimento com a edição da Lei Imperial de 10 de outubro de 1831, que autorizava cada província a criar seus Corpos de Guardas Municipais Voluntários (CGMV) e o cargo de comandante-geral foi ocupado, por indicação, pelo reverendo Cypriano Lopes de Arroxelas Galvão.

Somente em 03 de fevereiro de 1832, uma ‘Decisão Imperial’ aprovou o plano do CGM de Alagoas aos formatos do Ministério da Justiça da época, que tinha a frente o ministro Diego Antônio Feijó, e sua primeira missão foi manter a ordem interna na província de Alagoas, obedecendo às leis imperiais, bem como debelar os adeptos da Guerra dos Cabanos.

Participação em grandes lutas e Missões

Com o passar dos anos, a corporação alagoana participou de diversos conflitos no cenário nacional e internacional, a exemplo da Guerra do Paraguai, a Proclamação da República, a Revolução de 1930, a caçada ao Bando de Lampião, o combate aos ‘irmãos Morais’ (um dos cercos policiais mais sangrentos da história de Alagoas), as grandes Guerras Mundiais, a Ditadura Militar, entre outros, sempre honrando e defendendo sua pátria por onde passava.

Fora do Brasil, a PMAL também tem dado sua contribuição e deixado, honradamente, sua marca. Relembremos sua representatividade nas missões de paz em Moçambique, na África (1993-1996), em Guatemala, na América Central (1994-200), na Bósnia Herzegovina, Ásia (1994 a 1995), em Angola, África (1995 a 1999), no Timor leste, Oceania (1999 a 2000), no Sudão da África (2015 a 2016), bem como os inúmeros militares que foram destaque nacional em cursos de especializações com representantes de todos estados da federação.

É importante frisar que em 2003 a corporação alagoana recebeu o Prêmio Nacional de Direitos Humanos em virtude de suas ações visando a promoção de Paz Social.

Manutenção da Ordem Pública e Ações Sociais

Após 188 anos de glórias, a Polícia Militar continua mantendo os princípios e valores que a fazem uma das instituições mais confiáveis do Estado. Se chegamos até aqui e pretendemos avançar muito mais, isso só foi e será possível graças a cada um dos nossos valorosos policiais militares, idealistas e vocacionados, que colocam a própria vida em risco para honrar a memória dos nossos ancestrais e em defesa da sociedade alagoana.

Efetivamente, são mais de 8.000 homens e mulheres, pais, mães e filhos, abnegados, que, sem medir esforços, estão diuturnamente nas ruas e grotas dos 102 municípios do Estado, seja dia ou noite, sob chuva ou sol,através de diversas modalidades de policiamento ostensivo, em terra, no mar e nas lagoas, e também nos céus, zelando pela tranquilidade do cidadão, sua maior missão.

Não podemos falar em história e não citar o Centro Musical da PM que existe desde o século XIX. E, na década de 30, mais precisamente em 1936, um grupo de músicos da banda da PM resolveram criar um bloco que desfilasse após o carnaval para atender os militares que trabalharam durante o evento, assim nasceu o ‘Vulcão’. Em 2020 o bloco fará 84 anos que arrasta multidões para o famoso Banho de Mar à Fantasia da Avenida da Paz.

 

Os músicos realizam ainda o Programa Vem Ver a Banda Tocar (PVVBT), o qual acontece com regularidade aos domingos na praia da Ponta Verde, dentre outros bairros e municípios de Alagoas, e também o Programa Música é Saúde onde levam esperança, paz e boa música aos pacientes.

 

O comandante-geral, coronel Marcos Sampaio Lima, parabeniza neste dia a todos os policiais militares, cidadãos de Alagoas, ativos e veteranos, pelos 188 anos de honra e devoção!