Notícia

POLÍCIA MILITAR

Polícia Militar do Estado de Alagoas
Terça, 17 Maio 2022 11:53
NOTA DE REPÚDIO

PM-AL repudia ato de Injúria racial contra policial militar em São Luiz do Quitunde

A Corporação repudia veementemente qualquer ato de discriminação

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Whatsapp
  • Google +

O Comando Geral da Polícia Militar do Estado de Alagoas vem a público prestar apoio total e irrestrito à sua tropa e, de forma especial, ao Cabo da guarnição do Pelopes, pertencente à 2ª Companhia de Polícia Militar Independente (CPM/I).

No exercício de sua função, o policial foi vítima de Injúria racial durante uma ocorrência registrada no município de São Luiz do Quitunde na última segunda-feira (16). O fato ocorreu enquanto a equipe realizava o policiamento durante os festejos de 130 anos de Emancipação Política da cidade do Norte de Alagoas.

                           

Um indivíduo do sexo masculino, de 25 anos de idade, visivelmente alterado e sem nenhum motivo aparente, aproximou-se da equipe. O homem iniciou uma sequência de xingamentos e ofensas contra a Corporação e contra os PMs que estavam no local (utilizando termos pornográficos e indignos de reprodução). Dirigindo-se a um dos patrulheiros do Pelopes, o indivíduo chamou-lhe de “macaco”.


A Corporação repudia veementemente qualquer ato de discriminação e reitera que abomina o racismo em todas as suas formas de manifestação. No caso específico, a vítima foi um cidadão e também representante do Estado no exercício de sua função constitucional.

O Comando lamenta o fato e reitera que, como sociedade, avançamos em diversos aspectos, mas vergonhosamente a intolerância e o preconceito ainda estão presentes e precisam ser combatidos de forma urgente.

O militar está recebendo o devido apoio institucional e sendo acompanhado pelo comando da Companhia. Já o autor, após o ocorrido, foi conduzido à Delegacia de Polícia em Matriz de Camaragibe e autuado pelos crimes de Injúria Racial e Desacato. Foi necessário conter o agressor utilizando a força devida (visando a sua própria segurança, a segurança da guarnição e de terceiros), para a condução à Polícia Judiciária.